Seminário em Defesa da Memória, Verdade e Justiça: Pela abertura dos arquivos da Ditadura


Passado a primeira parte do Seminário em Defesa da Memória, Verdade e Justiça: pela abertura dos arquivos da ditadura, que aconteceu no dia 22 de maio de 2012, no auditório da UESPI de Parnaíba, sendo um sucesso de público. Agora será realizada a segunda parte do evento no dia 06 de junho de 2012, no mesmo local e horário, no qual, virão militantes de Ação Popular, presas e torturadas no período da Ditadora Militar.
São elas:
  • MARIA DO CARMO MOREIRA SERRA AZUL: Organizou a revolta das saias no Ceará, considerada a maior manifestação feminina na América Latina na época. Diretora do CESC-Centro dos Estudantes Secundaristas do Ceará e Militante de AP-Ação Popular.
  • MIRTES SEMERARO DE ALCANTARA NOGUEIRA: Líder Nacional de AP-Ação Popular, Diretora CESC-Centro dos Estudantes Secundaristas do Ceará SESC ceará. Mirtes estava no conflito da Rua Maria Antônia, queimada com acido na briga com o CCC-Comando de Caça aos Comunistas.
Também será realizada uma homenagem a ANTÔNIO DE PÁDUA COSTA (Piauí) - (1943-1974), estudante de Física da Universidade Federal do Rio de Janeiro, desaparecido desde o início do ano de 1974.

Pai: João Lino da Costa, Mãe: Maria Jardelina da Costa.

Guerrilheiro PIAUIENSE da cidade de PARNAÍBA, no Delta do Parnaíba, estudava Física na Universidade Federal do Rio de Janeiro quando começou a participar ativamente do Movimento Estudantil entre os anos de 1967 e 1970. Fez parte do Diretório Acadêmico do Instituto de Física e foi membro do Conselho de Dormitório do Alojamento do “Fundão”. Preso durante o 30º Congresso da UNE, em Ibiúna (SP), foi indiciado em inquérito e passou a ser perseguido pelos órgãos de segurança do regime militar. Optou pela militância política clandestina, quando já era militante do PCdoB. Mudou-se em 1970 para o Araguaia, fixando residência na localidade de Metade, onde era conhecido como Piauí. Foi o vice-comandante do Destacamento A e, após a morte de André Grabois, assumiu o comando.

Citado no livro BACABÁ, de José Vargas Jimenez, militar que combateu a Guerrilha; "Dos guerrilheiros que foram interrogados, Piauí foi o mais corajoso e valente. (...) Piauí aguentava o interrogatório sem gritar ou reclamar, era um dos poucos guerrilheiros bem preparados para a luta." (HABEAS CORPUS, 1a edição, SDH da Presidência da República, página 187).

Este evento está sendo realizado pelo GEMPI – Grupo de Estudos Marxistas Piauiense, Centro Acadêmico de História da UESPI – Parnaíba, Centro Acadêmico de Pedagogia da UFPI – Parnaíba e Diretório Acadêmico “3 de Março” da UFPI – Parnaíba.
COMPARTILHAR:

+1