Frei Antônio Curcio vai ser sepultado hoje em Floriano


Frei Antônio Curcio vai ser sepultado às 17h, desta quinta-feira, 28, no colégio Industrial São Francisco de Assis, após uma missa na igreja do próprio colégio. Frei Antônio faleceu nas primeiras horas da última quarta-feira, 27, em Floriano, aos 92 anos de idade.

Fundador da Ordem Franciscana de Floriano e do Colégio Industrial São Francisco de Assis, Frei Antônio Curcio é um dos principais personagens da cidade nas últimas décadas e é um dos principais representantes da educação no Piauí. Ele faleceu de parada cardíaca, devida a complicações do câncer que ele vinha enfrentando há alguns anos.

Frei Antônio Curcio nasceu na Itália, na cidadezinha de Montefalcone di Val Fortore, no dia 10 de julho de 1920. Em 19 de março de 1943, em plena 2ª guerra mundial, ele terminou seus estudos em Filosofia e Teologia na cidade de Benevento, na Itália, com 6 meses de antecipação, foi ordenado Sacerdote na Capela particular do Arcebispado de Benevento.

No ano de 1960, com 40 anos de idade, acolhendo o chamado de Deus para as Missões, embarcou para o Brasil. Primeiro atuou no interior do Tocantins, onde trabalhou junto a índios. Frei Antonio chegou em Floriano em fevereiro de 1967 e imediatamente iniciou a construção do Convento da Ibiapaba. Desenhou a planta, vestiu o macacão, juntou-se aos pedreiros e, após um ano, em 1968, as primeiras dependências estavam prontas. Recebeu os primeiros Confrades e a Fundação Missionária Nª Sª das Graças virava realidade.

Em 1967, enquanto estava construindo o Convento da Ibiapaba, efetuou uma pesquisa abrangendo a evolução de Floriano no período de 1940 a 1960, focalizando especialmente a educação. O resultado da pesquisa o convenceu a criar um centro que mudasse o tipo de educação vigente naquela época. Era necessário olhar a criança e o jovem como pessoa, tendo como base a família, a sociedade, a religião e uma sólida cultura, desenvolvendo as potencialidades e habilidades de cada um. Fundou assim o Colégio Industrial São Francisco de Assis e iniciou as aulas no mês de abril de 1969. A aceitação por parte da comunidade foi grande e os órgãos educacionais do Piauí: a Delegacia Regional do Ensino, o Conselho Estadual, a Secretaria de Educação, se manifestaram dando o maior apoio à filosofia educacional preconizada pelo Colégio Industrial.

O acompanhamento do aluno e preparação como cidadão é esmerada. O nível cultural é alto. Os resultados vão muito além do normal. Na comunidade de Floriano e de outros municípios são muitos os ex-alunos que atuam como médicos, engenheiros civis e eletrônicos, arquitetos, geólogos, cientistas, professores, enfermeiros, fisioterapeutas, dentistas, psicólogos, jornalistas, juízes, líderes políticos, bioquímicos, advogados, contadores, economistas, agrônomos, administradores de empresas, farmacêuticos, nutricionistas, biólogos, padres.

A cidade de Floriano está em luto. Frei Antônio recebe homenagens de diversas entidades do Piauí e do mundo. A prefeitura de Floriano decretou luto oficial no município por três dias.

*Com informações biográficas de Pesquisa e texto de Maria Umbelina Marçal Gadêlha.

Égide Assessoria de Comunicação e Marketing
COMPARTILHAR:

+1