Impasse na arbitragem do jogo Parnahyba e 4 de Julho continua


Depois da primeira partida realizada em Piripiri no último dia 23/06 entre 4 de Julho e Parnahyba que terminou em 0 a 0, o prefeito da cidade, Luiz Menezes, “tido como o dono da equipe colorada”, tornou público que só aceitaria que seu time fizesse a partida de volta em Parnaíba se a arbitragem não fosse composto por integrantes do Piauí, já que ele afirmava que seu time tinha sido prejudicado pela arbitragem piauiense dentro da sua própria casa.

O certo é que depois de muito “disse me disse” a imposição do 4 de Julho, digo de Luiz Menezes, foi acatada pela Federação de Futebol do Piauí – FFP que anunciou que a arbitragem em Parnaíba será composta de 1 integrante pernambucano e 3 maranhenses. 

Luiz Menezes - Prefeito de Piripiri | Foto: Gilson Brito
Para muitos tal atitude da FFP demonstra que quem dá as cartas é o cartola Luiz Menezes que apenas deu um grito e tudo foi acatado. Nem mesmo um ofício enviado pelo Parnahyba Sport Club (Presidente, Presidente do Conselho Deliberativo, Vice-presidente do Conselho Deliberativo e Secretário Geral do Conselho Deliberativo) fez o presidente da Federação de Futebol do Piauí- FFP Cesarino de Oliveira Sousa mudar de ideia.

Como perguntar não ofende, aí vai:

- Será que a arbitragem do Piauí só presta quando o 4 de Julho ganha?
- Será que todas as vezes que Luiz Menezes der um grito a FFP acatará?
- Será que Luiz Menezes irá “cantar de galo” dentro do domínio do tubarão?

Leia abaixo o ofício do Parnahyba enviado a FFP:

Parnaíba(PI), 25 de junho de 2012.
Sr. Presidente da Federação de Futebol do Piauí- FFP.
Cesarino de Oliveira Sousa

O Parnahyba Sport Club vem, por meio do presente expediente, tendo em vista decisão de Diretoria, informar que não concorda com a pretensão sugerida pela equipe do IV de Julho no sentido de trazer arbitragem alheia a realidade de nosso futebol para o jogo da semifinal a ser realizado na data de 01.07.2012, no estádio municipal de Parnaíba.

Entendemos que a nossa comissão de arbitragem tem primado por sua imparcialidade e competência até o momento, razão pela qual o Parnahyba Sport Club acredita no potencial dos árbitros deste Estado e, por isso, não vê fundamento algum na vontade única de um dirigente de clube em desprestigiar toda uma categoria de árbitros locais. Essas ameaças, as pressões do dirigente colorado não devem ter guarida por parte da Federação de Futebol do Piauí, tão bem representada por Vossa Senhoria, porque, além de fortalecer o desprestígio próprio (já que a arbitragem piauiense faz parte da FFP), poderá abrir um precedente perigoso, inclusive para as finais do campeonato piauiense que se aproximam.

Por fim, entendemos que as regras do campeonato estão contidas na lei maior que é o seu regulamento, aprovado por um arbitral que foi instalado no início da competição e nele não se prevê esse tipo de postura, só podendo ser mudado com a anuência de todos os clubes que subscreveram os regramentos.

Portanto, o Parnahyba Sport Club é terminantemente contra essa mudança que tenta impor o dirigente do IV de Julho, pelos motivos já expostos, requerendo de já que Vossa Senhoria confirme o que já estava pré-estabelecido no regulamento do campeonato de futebol profissional piauiense, fazendo valer o bom senso e as regras já estabelecidas, mantendo-se o quadro de arbitro local para conduzir a partida em evidência.

Atenciosamente,

José de Lima e Silva – Presidente da Diretoria
Hélio Damasceno Alelaf – Presidente do Conselho Deliberativo
Carlos José Santos Neves – Vice Presidente do Conselho Deliberativo
Miguel Bezerra Neto – Secretário Geral do Conselho Deliberativo

Por Gilson Brito
COMPARTILHAR:

+1