publicidade

publicidade

Candidato do PSTU questiona campanhas milionárias dos grandes partidos‏

Daniel Solon
Elmano, Firmino, Wellington e Beto Rego gastarão R$ 145 milhões na campanha eleitoralDinheiro virá de empresas, que cobrarão a conta depois da eleição

O Portal 180 Graus teve acesso a documentos do TRE relativos aos valores declarados das campanhas para prefeito de Teresina. De acordo com o 180 Graus, Elmano Ferrer (PTB/PMDB) pretende gastar R$ 130 milhões na campanha em que tenta reeleição para prefeito de Teresina. Segundo o portal 180 Graus, outras candidaturas milionárias são de Firmino Filho (PSDB/PSD), que gastará R$ 10,5 milhões, Wellington Dias (PT) que investirá R$ 2,5 milhões, seguido de Beto Rego (PSB/PCdoB), com também R$ 2,5 milhões. Tudo isso daria R$ 145,5 milhões.

Tão logo saiu a publicação no portal 180 Graus, a assessoria da campanha do PTB enviou nota informando que houve um "erro de digitação" e que corrigirá o valor da campanha para R$ 10 milhões (ver em 180graus.com/politica/coligacao-de-elmano-ferrer-erra-e-declara-130-milhoes-na-campanha-541482.html). Mesmo se essa "correção" vier a se concretizar, os valores declarados dos candidatos do PTB, PSDB, PT e PSB chegam a impressionante cifra de R$ R$ 25,5 milhões. A assessoria do PSDB também diz que há erro na informação, e que a campanha milionária tucana custará R$ 1,5 milhão.


"Essa dinheirama toda virá das grandes empresas, que financiam as campanhas dos candidatos das elites, para depois cobrar caro. A corrupção nos governos começa durante o financiamento das campanhas pelas empresas, que burlarão licitações, construirão obras e venderão produtos com preços superfaturados", afirma o candidato a prefeito de Teresina pelo PSTU, professor Daniel Solon.

Toda a campanha do PSTU está orçada em apenas R$ 35 mil, sendo R$ 25 mil para a candidatura a prefeito e R$ 10 mil para custear gastos com candidatos a vereador da sigla. É o menor valor declarado entre as sete candidaturas majoritárias registradas no TRE. "Nossa campanha será custeada com a colaboração dos trabalhadores, espontaneamente. Não temos e nem queremos dinheiro de empresas ou de governos. Na verdade, fizemos um desafio público aos demais candidatos para agirem dessa forma, e com a divisão igual de tempo na mídia. Os candidatos dos 'grandes' partidos não deram qualquer resposta até o momento. Afinal, de que forma eles poderão comprar votos?", indagou Daniel Solon.

AGENDA - Na manhã desta terça, acompanhado de Solimar Silva (bancária, candidata a vice-prefeita), Daniel Solon fez visita ao campus Poeta Torquato Neto (UESPI), onde os professores e servidores se mobilizam e podem deflagrar greve em agosto. O candidato do PSTU também visitou os servidores do INCRA, que estão em greve desde o dia 25 de junho. Ele prestou solidariedade aos grevistas de todo o funcionalismo federal, que sofrem ameaça de corte de salários por parte do Governo Dilma (PT). "O governo Dilma é intransigente e quer aumentar o arrocho salarial no funcionalismo. O governo tem que negociar!",afirmou. No final da manhã, concedeu entrevista ao jornal O Dia.

DECISÃO SOBRE LILIAN MARTINS – O candidato a prefeito pelo PSTU comemorou a decisão da Justiça Federal em suspender a nomeação da esposa do governador Wilson Martins (PSB), Lilian Martins, do cargo de conselheira do Tribunal de Contas do Estado (TCE). “A decisão é fruto do grande repúdio da população teresinense a mais esse gesto de nepotismo e autoritarismo do governo Wilson. Mas é preciso ficarmos atentos para que ela não volte ao cargo. Queremos que a decisão seja definitiva. O ocupante de tal cargo, na verdade, deveria ser escolhido através de eleições diretas, com mandato revogável a qualquer momento, se a população assim o quiser. Para esse e outros cargos eletivos, não deve haver regalias, privilégios, ou super-salários”, afirmou Daniel Solon.

Ascom
COMPARTILHAR:

+1

Música do Dia