Agricultores piauienses conhecem experiências agroecológicas no Ceará


O intercâmbio serviu para que os agricultores trocassem experiências de convivência com o semiárido.

Agricultores do Piauí participaram neste fim de semana de um intercâmbio para a troca de experiências com agricultores do sertão do Ceará. Além de conhecerem quintais produtivos, tecnologias de captação de águas e roças orgânicas, o intercâmbio serviu para que os agricultores trocassem experiências de convivência com o semiárido.

Participaram do Intercâmbio 17 agricultores da região de Domingos Mourão, Milton Brandão, Castelo e Juazeiro do Piauí, municípios beneficiados pelo Programa Uma Terra e Duas Águas (P1+2), da Articulação do Semi-Árido Brasileiro (ASA Brasil). A visita foi realizada na comunidade Sítio Bueno, no município de Iraúçuba no Ceará e foi acompanhada pela Cáritas Regional do Ceará, Unidade Gestora Territorial responsável pelo desenvolvimento do P1+2 naquela região.


Os agricultores conheceram o quintal produtivo da família de Seu Antônio Braga. Lá eles desenvolvem em sua área o sistema deAgrofloresta como técnica alternativa de uso da terra. Neste sistema a mata nativa é preservada, mas na área também são plantados outros tipos de culturas, como plantas frutíferas “é um aproveitamento de espaço, mantendo as plantas nativas e as folhas que caem serve de adubo”, explica

Moradores da comunidade presentearam os visitantes com sementes da região e trocaram informações sobre o cultivo da terra. De acordo com Seu Antônio, todo plantio é feito sem uso de agrotóxico, sem queimadas e com adubação orgânica. A água utilizada pela família vem de tecnologias como tanque de pedra que armazenam e mantem a água da chuva no período mais seco do ano. Este ano devido as poucas precipitações de chuvas na região, o tanque pouco encheu e já está quase seco, mas devido a boa qualidade do solo, a área produtiva da família não vai sofrer com a estiagem.  


Os piauienses visitaram, ainda, o quintal produtivo da agricultora Luisa de Melo que possui além da cisterna que acumula água para o consumo o Programa Um milhão de Cisterna, também possui uma cisterna com capacidade de guardar 52 mil litros de água do Programa Uma Terra e Duas Águas que é usada para a produção de alimentos. A agricultora produz cebola, tomate, mamão, cheiro verde e a variedade de plantas medicinais que possui em seu quintal até que as próximas chuvas voltem a encher sua cisterna.

Para o agricultor Antônio Mariano a viagem foi muito prazerosa, segundo ele “além de fazer amigos, a gente conhece outras coisas, ver muita coisa bonita, eu já disse pra meus companheiros, vou fazer um quintal mais bonito que esses que a gente viu aqui”, brinca.  



Por Paula Andréas  
COMPARTILHAR:

+1