Eleições 2012: estratégia do PMDB

Jânio Holanda
Parece-me que os peemedebistas, pelo menos, para a eleição municipal que se aproxima, continuam servindo de escada para eleger outros partidos. Diga-se de passagem, a coligação feita de última hora com o PTB, vistas ao pleito da capital.

Assim como na eleição estadual e com candidaturas já expostas, respectivamente, Marcelo Castro (governador) e Marllos Sampaio (prefeito), ambos abdicaram de figurar na cabeça da chapa, sendo que Marcelo Castro preferiu a candidatura à reeleição para a Câmara Federal e Marllos Sampaio à de vice-prefeito de Elmano Férrer.

Não é simples coincidência, não, pois em nível nacional desde a morte de Ulisses Guimarães que o partido vem se contentando com as candidaturas de vices em vários Estados da federação. Talvez com a atitude tomada ultimamente país afora, o PMDB assume a pose de protagonista, mas na realidade, apresentando-se, como sempre, em busca do papel de coadjuvante de luxo nas eleições que se sucedem.

No Piauí a situação é justificada pelas lideranças partidárias da agremiação que a aliança com o petebista Elmano Férrer visa uma troca de apoio para as eleições estaduais, onde o PMDB surge como principal protagonista, pois terá candidatura nata à reeleição, no caso o então governador Moraes Souza Filho, caso Wilson Martins venha a disputar uma vaga para o Senado.

O fato tem ampla possibilidade de se concretizar, pois, o vice-governador vem percorrendo municípios de todas as regiões do Estado apoiando as candidaturas do partido, no sentido de fortalecer a marca da agremiação e assim poder eleger o maior número de prefeitos possíveis neste pleito. Antes, o partido ficava em compasso de espera para definir os rumos que tomaria nos sucessivos embates eleitorais mais recentes, tanto para a prefeitura da capital como para governo estadual.

É uma iniciativa louvável e que certamente trarão frutos para as eleições de 2014. Segunda as principais lideranças, o PMDB apostou em um projeto empreendedor, proposto pelo partido e não existem desentendimentos entre os líderes. O assunto foi ventilado na imprensa, porque antes de formalizar a coligação com o PTB, havia conversações preliminares com o candidato do PSDB, Firmino Filho. “A maioria venceu, justificam”.

Portanto, agora é só esperar o desenrolar da campanha e o resultado das urnas. No momento as pesquisas indicam segundo turno entre o candidato do PSDB, Firmino Filho e o petebista Elmano Férrer, da coligação com o PMDB.

Além de Elmano Férrer, vão disputar a prefeitura de Teresina, o senador Wellington Dias, pelo PT, o deputado estadual Firmino Filho, pelo PSDB, e o apresentador Beto Rego, pelo PSB. O PSTU lançou o professor Daniel Solon e o Psol o advogado Maklandel Aquino.

Jânio Holanda - Jornalista
COMPARTILHAR:

+1