publicidade

publicidade

Ordem dos Músicos do Brasil elege nova diretoria no Piauí‏


A Ordem dos Músicos do Brasil – Conselho Regional do Piauí (OMB-PI), realizou, na última terça-feira (31), no Palácio da Música, as primeiras eleições diretas para escolha de seus membros-conselheiros. Durante aproximadamente 50 anos, o Conselho Regional do Piauí, foi administrado por diretorias provisórias. A partir dessas eleições diretas, a OMB-PI será administrada, democraticamente, por uma diretoria representativa dos diversos setores musicais do Estado do Piauí, com mandato de três anos.

O pleito contou com a participação de 95 músicos que possuem poder de voto. Dentre os presentes a maioria optou pela escolha de uma chapa única (89 votos), houve ainda três votos em branco e três nulos. O novo conselho eleito é composto de 50 membros, sendo 25 membros efetivos e igual número de suplentes. A Diretoria do Conselho será escolhida entre os conselheiros eleitos, na sua primeira reunião ordinária para o triênio de 2012 a 2015.

A Comissão Provisória que assumiu em maio de 2011, tinha entre suas atribuições, organizar e realizar o processo eleitoral, que é inédito na história dos músicos do Piauí, que há mais de quarenta anos era dirigida por comissões provisórias escolhidas pelo Conselho Federal. O processo eleitoral foi presidido pelo Tenente Rocha, regente da banda da Polícia Militar do Piauí, e prestigiado por muitos músicos, dentre eles o regente da orquestra sinfônica de Teresina, Aurélio Melo.

Outros músicos que estiveram presentes à eleição foram o Diretor do Palácio da Música, Luciano Klaus, Rubeni Miranda, que representou Severino Santos do Conselho de Cultura, além do advogado Josélio Salvio, representando o Sindicatos do Músicos e Milton do Nascimento, que representou o projeto “Sopro Livre”. Toda a atual diretoria da Ordem dos Músicos do Piauí participou da votação.

A Ordem dos Músicos do Brasil

A Ordem dos Músicos do Brasil foi criada através da Lei nº 3.857/1960, com a finalidade de exercer, em todo o país, a seleção, a disciplina, a defesa da classe e a fiscalização do exercício da profissão do músico. Dotada de personalidade jurídica de direito público com autonomia administrativa e patrimonial.
A OMB não se confunde com o Sindicato dos Músicos, sendo esta uma entidade representativa da categoria, e, a Ordem dos Músicos do Brasil, uma autarquia federal, criada para selecionar e fiscalizar o exercício da profissão do músico, dando-lhe dignidade e respeito.

A eleição realizada na última terça-feira (31) marca o início de um novo tempo para os músicos piauienses, pois os mesmos terão, agora, um Conselho Regional mais representativo e comprometido com os anseios da categoria.

Por Juarez Oliveira  
COMPARTILHAR:

+1

Música do Dia