publicidade

publicidade

Professores da UFPI realizam ato público pela reabertura das negociações


Mesmo com o fim da greve em oito universidades e institutos federais, os professores da Universidade Federal do Piauí (UFPI) continuam parados. E nesta segunda-feira (20), demonstrando a intensificação do movimento grevista, os docentes da UFPI realizarão um ato público, no pórtico da universidade, a partir das 8h, pela reabertura das negociações com o governo federal.

A insistência do reitor Luís Júnior em reiniciar as aulas em plena greve dos docentes e técnicos-administrativos, a ameaça do corte do ponto dos professores, bem como a intransigência do governo federal em não negociar com a categoria docente, são outros motivos que levam a categoria a realizar o protesto. O ato público contará com a participação de estudantes, técnicos-administrativos e outras categorias do serviço público federal que também estão em greve.

De acordo com o Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (Andes), 54 universidades ainda estão paradas no país. Na última quinta-feira (16), o Andes-SN protocolou no Palácio do Planalto uma carta dirigida à presidenta Dilma Rousseff pedindo reabertura imediata das negociações com os docentes. Por meio da assessoria de imprensa, a Secretaria-Geral da Presidência da República confirmou que o documento foi entregue e encaminhado ao gabinete da Presidência da República e aos ministérios da Educação (MEC) e do Planejamento.

No documento entregue ao Planalto, o Andes-SN diz que as duas propostas apresentadas pelo Ministério da Educação aos docentes - oferecendo, respectivamente, reajuste de 12% a 40% e de 25% a 40% - "não dialogaram efetivamente com a pauta de reivindicação" dos professores. O Andes-SN diz que os percentuais aumentam as distorções salariais existentes na carreira.
A categoria também afirma que o governo não contemplou a reestruturação de carreira em sua oferta.

Assessoria de Imprensa  
COMPARTILHAR:

+1

Música do Dia