publicidade

publicidade

Semiárido piauiense participará de rotas de aprendizagem do Programa Semear


Durante a Oficina Redes de Colaboração e Rotas Estratégicas de Aprendizagem os participantes se uniram para criar temáticas e mapear experiências exitosas.

O Programa Semear reuniu em Salvador (BA), nos dias 22, 23 e 24 de outubro, instituições públicas e privadas, organizações não governamentais, associações de pequenos agricultores e núcleos acadêmicos e de pesquisa para discutir uma proposta de cooperação entre as entidades, a fim de integrar ações que colaborem com o Programa Semear – Gestão do Conhecimento em zonas semiáridas do Nordeste do Brasil.

Durante a Oficina Redes de Colaboração e Rotas Estratégicas de Aprendizagem os participantes se uniram para criar temáticas e mapear experiências exitosas e potencialidades nos seis Estados que serão contemplados com o Programa. A Rota Estratégica Temática, que será realizada no âmbito do Programa Semear, é uma adaptação da metodologia de Rotas de Aprendizagem desenvolvida pela Procasur, organização chilena parceira técnica do programa que esteve presente na oficina e explicou passo a passo a metodologia das Rotas.

Rita Bórquez, da Procasur, explicou que as Rotas de Aprendizagem oportunizam um processo de fortalecimento de capacidades locais, incluindo a sistematização de boas práticas de desenvolvimento rural, a realização de visitas de intercâmbio às experiências exitosas e a construção de planos de inovação por parte das organizações envolvidas.

As entidades participantes apresentaram experiências que podem se integrar às temáticas criadas na oficina para a criação dessas Rotas, as temáticas são: Sistemas integrais territoriais de convivência com o semiárido (acesso a mercados e economia solidaria, inovações sócioprodutivas, educação contextualizada e formação de ATER) Sistemas de produção agroecológica e Ferramenta de construção e disseminação do conhecimento.

Como encaminhamento foi formado grupos para mapear nos Estados participantes experiências que contemplem as temáticas; o terceiro passo seria a conclusão dessas Rotas pela Equipe do Programa Semear. Durante a oficina foi apresentado também uma proposta de ferramenta de suporte às redes de colaboração e aprendizagem, utilizando a metodologia de Análise de Redes Sociais, que será criada pelo Semear. “Com essa ferramenta poderemos visibilizar os atores atuantes no Semiárido nordestino, assim como suas ações e seu papel na rede de informação e conhecimento para o desenvolvimento rural”, explica Ângela Brasileiro, umas coordenadoras do Programa.

A Articulação no Semiárido Brasileiro (Asa Brasil) organização que desenvolve Programas no âmbito da convivência com o semiárido foi representada por entidades de todos os Estados. Do Piauí participaram três entidades da sociedade civil organizada representando o Fórum Piauiense de Convivência com o Semiárido: Centro Regional de Assessoria e Capacitação (CERAC) Obra Kolping do Piauí e Centro de Formação Mandacaru; representando a EMATER do Piauí, participou do encontro Romualdo Militão. Dentro das temáticas criadas o Piauí destacou experiências na área da Educação Contextualizada, produções agroecológicas, roças orgânicas entre outras, " Vamos fazer um levantamento de outras experiências que existem no Piauí dentro das temáticas, são várias entidades que trabalham nesta visão de convivência com o semiárido, com certeza teremos experiencias ricas para ser inseridas nestas Rotas de Aprendizagem", destaca Raimundo João, coordenador da entidade Kolping do Piauí.

O Programa “Semear Conhecimento em zonas semiáridas do Nordeste do Brasil” atuará em seis estados nordestinos: Bahia, Ceará, Paraíba, Pernambuco, Piauí e Sergipe, tem previsão de duração de três anos e conta com recursos do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (Fida) e apoio da Agência Espanhola de Cooperação Internacional para o Desenvolvimento (Aecid).

Paula Andreas/Comunicadora Popular do CERAC
COMPARTILHAR:

+1

Música do Dia