SEID cobra equipamentos de acessibilidade para pessoas com deficiência no aeroporto de Teresina


O secretário estadual para Inclusão da Pessoa com Deficiência, Hélder Jacobina, se reuniu na tarde desta terça-feira (20) com o superintendente da Infraero no Piauí, Wilson Estrela, para tratar de questões relacionadas à acessibilidade no aeroporto de Teresina, tanto nas áreas comuns quanto no acesso às aeronaves. Também participaram da reunião o coordenador de acessibilidade da SEID, Claude Girão, e o 1º Secretário do Conselho Estadual de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência (CONEDE), Mauro Eduardo.

Hélder Jacobina explicou que a reunião junto com o superintendente da Infraero serviu para abordar a necessidade de que as empresas aéreas disponham de equipamentos para facilitar o acesso das pessoas com deficiência até as aeronaves. “A nossa conversa foi basicamente nesse sentido, inclusive o superintendente se mostrou muito solícito e sugeriu para que nós participássemos de uma reunião junto com a Infraero, a ANAC e as empresas aéreas, no mês de dezembro, para que possamos apresentar essa preocupação e cobrar esse direito das pessoas com deficiência”, ressaltou.

Em relação ao acesso das pessoas com deficiência às aeronaves, Wilson Estrela conta que pela legislação vigente, as empresas aéreas são obrigadas a ter um ambu-lift (uma plataforma elevatória) e cadeiras para subir e descer as escadas que dão acesso às aeronaves. Mesmo sendo obrigação de todas as empresas, apenas uma delas possui o equipamento, que se encontra fora de funcionamento há três anos. “Embora nós façamos uma gestão que cobre a recuperação desse equipamento, quem tem mecanismos legais para fazer com que isso aconteça é a ANAC, que tem o papel fiscalizador. Sem esse equipamento, a pessoa que é cadeirante ou tem dificuldade de locomoção tem que ser levada nos braços até a aeronave, o que causa grande constrangimento”, informou o superintendente.

Para Mauro Eduardo, a garantia do direito de ir e vir é uma preocupação constante do CONEDE, e em virtude da participação de uma delegação piauiense na 3ª Conferência Nacional de Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência, que acontecerá em Brasília no início de novembro, houve a preocupação com o embarque dessas pessoas. “Nos preocupamos não só com a viagem da delegação do Piauí, mas queremos que esse atendimento seja permanente, até porque nós sabemos que várias pessoas com deficiência embarcam diariamente, seja por motivos de lazer, para tratamento de saúde ou para trabalhar”.

Já o coordenador de acessibilidade da SEID, Claude Girão, informou que o superintendente se mostrou muito sensível à essas reivindicações e informou que há várias ações de acessibilidade arquitetônica previstas na reforma do terminal de passageiros do aeroporto. Com a reforma do terminal de passageiros do Aeroporto de Teresina, serão implantadas várias ações de acessibilidade arquitetônica, como uma rampa elevada que ligará o estacionamento ao terminal, instalação de piso tátil, nas áreas de embarque e desembarque, balcões rebaixados nos guichês de atendimento, telefone públicos para deficientes auditivos, entre outros.

Juarez Oliveira  
COMPARTILHAR:

+1