Poeira, doença e omissão das autoridades


Já se transformou em um sério problema de saúde a situação de centenas de famílias que moram às margens da PI-117, num trecho de pouco mais de um quilômetro daquela rodovia estadual que corta a área urbana de Batalha. A estrada tem um tráfego intenso, e a poeira que esse tráfego provoca está atingindo a saúde de todos, principalmente das crianças e idosos. Problemas respiratórios, tosse, gripe são sintomas comuns entre esses moradores.

Há cerca de um mês a empresa Terraplan LTDA, contratada para recuperar cerca de três quilômetros de asfalto inconcluso ainda do governo do PT, abandonou a obra levando todas as máquinas para a capital, devido a falta de pagamento por parte do governo Wilson Martins (PSB). 

Por conta dessa obra inacabada, vários acidentes graves já aconteceram, inclusive um com vítima fatal. Idosos estão sofrendo muito com o excesso de poeira, e chegam até ter crises respiratórias sem saber quando este sofrimento vai acabar.

Na tarde de ontem, por exemplo, a redação do FB recebeu uma ligação da aposentada Domingas Carvalho, 75 anos, mãe do Nonato da D10, que pede providência das autoridades pois não suporta mais tanta sujeira. “Ninguém consegue manter nada limpo dentro de casa, a garganta fica irritada, tenho dificuldade até de respirar”.

O desespero de conviver diariamente com a poeira já provocou manifestações dos moradores, que bloquearam por 4 horas o pequeno trecho, queimaram pneus, colocaram pedras e troncos de madeira, mas de nada adiantou.

Fica o nosso apelo para que olhe com um pouco mais de sensibilidade para estas famílias, que estão abandonadas e que necessitam de uma ação urgente das autoridades.

Folha de Batalha
COMPARTILHAR:

+1