Carnaval de Parnaíba: Cartas marcadas?

Imagem Ilustrativa
Saiu nos “blogs” uma matéria que diz que a prefeitura de Parnaíba vai gastar mais de 400 mil reais apenas na estrutura do carnaval 2013 e chama a atenção sobre os detalhes da licitação, especialmente no que diz respeito à contratação do trio-elétrico que fará a animação dos foliões parnaibanos e parcos turistas desavisados. De fato causa estranheza o edital citar marcas e modelos específicos de equipamentos, o que nos dá a sensação que tal edital esteja sendo dirigido a uma empresa específica. Sou músico há muitos anos e também operador de áudio, erroneamente chamado de “técnico de som” por falta de nomenclatura mais apropriada, portanto conheço alguma coisa sobre equipamentos de áudio. Ora, quase todos os trios-elétricos da atualidade, de médio e grande portes utilizam mixers (mesas de som) com mais de 32 canais, aliás, as bandas ou “esquemas de som” de pequeno porte já ilizam mesas de som com mais de 24 canais para se ter uma ideia imagine um bom trio-elétrico ou uma empresa profissional de sonorização. Citar em um edital a existência ou a exigência de equipamentos como mesas de som, equalizadores e crossovers (entre outros equipamentos) é quase como contratar uma empresa de sonorização e pedir que ela leve as caixas de som e os cabos para conectá-las ao amplificador. Temos dezenas de fabricantes de equipamentos de áudio de altíssima qualidade, Mackie, Behringer, Soundcraft, Yamaha entre tantas outras e no edital citado na matéria é exigida uma mesa de som “vega II” (48 canais, 12 auxiliares, 8 sub) da “Ciclotron”? Ainda por cima, os nomes das marcas dos equipamentos são grafados errados, propositadamente ou por desconhecimento. Na elaboração do edital algum técnico ou profissional da área foi consultado ou apenas o dono da banda (ou do trio) deu a relação dos seus próprios equipamentos para serem incluídos no documento? Também nos soa estranho o fato de alguns itens serem de um modelo e marca específica e outros não, como por exemplo a mesa de som da marca “Ciclotron”, modelo “vega II”, crossovers e compressores da marca “BBS” (não consta os modelos), processadores de efeito modelo “spx 990” (não consta a marca), monitores modelo “eletrovoz” (não consta a marca), 04 equalizadores gráficos de 31 bandas (não consta marca e nem modelo), 01 bateria eletrônica (não consta marca e nem modelo), 15 microfones (modelo SM 58, sem marca), 10 microfones (modelo SM 57, sem marca) e outros equipamentos que não constam nem marca e nem modelo, apenas descrições genéricas, como por exemplo 02 monitores duplo de bateria de percussão, 03 amplificadores para instrumentos, 04 amplificadores de potência para monitores e por aí vai. De uma coisa tenho certeza; esse trio é mais um dos vários trios “meia-boca” que por aqui sempre enganam os bestas na época do carnaval.

Pedrinho Guitar - Músico e compositor
Certificado pelo “Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura” e pelo SEBRAE-CE em “Engenharia de Som e Tecnologia Musical”
COMPARTILHAR:

+1