Codevasf promove capacitação sobre reprodução de peixes em Três Marias (MG)


A reprodução de peixes nativos da bacia do São Francisco e as técnicas de larvicultura, alevinagem e limnologia são os focos do curso “Desova induzida e propagação de peixes da bacia do rio São Francisco”, promovido pela Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) no Centro Integrado de Recursos Pesqueiros e Aquicultura de Três Marias (1ª/CIT), em Minas Gerais. A capacitação teve início nesta segunda-feira (21), com a participação de técnicos da Codevasf, profissionais e estudantes ligados à área, além de técnicos indicados pela Centrais Elétricas de Minas Gerais (Cemig), parceira na realização do treinamento.

O objetivo é capacitar profissionais, estudantes de nível técnico, de graduação e de pós-graduação em biologia, medicina veterinária, engenharia de pesca, agronomia, zootecnia e oceanografia, com o intuito de dar a eles uma visão global nas áreas de limnologia, reprodução artificial e piscicultura. Os assuntos serão abordados por meio de aulas teóricas e práticas. O conteúdo programático abrange avaliação da eficiência de repovoamento; morfofisiologia da reprodução; reprodução artificial; manejo do pacamã; limnologia geral; qualidade de água para piscicultura; preparação de viveiros para alevinagem; larvicultura de siluriformes; alevinagem em viveiros e introdução às comunidades planctônicas de água doce.

FOCO NA REVITALIZAÇÃO

A Codevasf, por meio do Centro Integrado de Recursos Pesqueiros e Aquicultura de Três Marias, desenvolve pesquisas em limnologia e ictiologia; desenvolve tecnologias de reprodução artificial, larvicultura e alevinagem de peixes nativos na bacia do rio São Francisco; realiza peixamentos na região do Alto São Francisco com alevinos de espécies nativas; e promove treinamento para estudantes e graduados em biologia, medicina veterinária, engenharia de pesca, oceanografia, agronomia e zootecnia.

Com recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), a Codevasf investiu cerca de R$ 2,9 milhões em obras de reforma e ampliação do Centro. Para certificação/acreditação do Laboratório de Limnologia e aquisição de equipamentos foram aplicados R$ 661 mil, por meio de destaque orçamentário do Ministério da Pesca e Aquicultura. Com esses investimentos, a Codevasf terá autonomia para realizar análises físicas e químicas sem que haja necessidade de contratação desse tipo de serviço.

Desde sua criação, o Centro contabiliza a reprodução artificial de 35 espécies de peixes, ou seja, cerca de 20% do total das espécies nativas do rio São Francisco conhecidas, entre elas curimatã pacu, zulega ou xira, curimatã pioa, surubim, dourado, piau verdadeiro, matrinchã, pacamã e pirá. Devido às obras de ampliação e reforma, não houve produção própria de alevinos de espécies nativas na 1ª/CIT durante o ciclo 2011/2012. Somente em 2012, foram cultivados 20 mil alevinos curimatã pacu. Já para o ciclo de 2012/2013 estão sendo cultivadas curimatã-pacu e matrinxã. Quanto às ações de repovoamento dos rios da região, durante o ano passado, o Centro contabilizou o lançamento de 20 mil alevinos, sendo 15 mil em Felixlândia (MG), represa de Três Marias, e 5 mil em Itabirito (MG), no Rio de Pedras. Em ambos foi usada a espécie Curimatã-pacu.

As ações desenvolvidas pelo Centro já beneficiaram cerca de 5 mil pescadores na região do alto São Francisco e cerca de 400 na região de Três Marias, além de cerca de 2 mil pescadores esportistas de localidades vizinhas e de outras regiões do Brasil, como Minas Gerais, São Paulo e Distrito Federal. Por ano, cerca de 160 estudantes também são beneficiados com as ações do Centro; eles têm origem na região e em outros estados, como Rio de Janeiro e São Paulo. Os alunos participam de visitas técnicas ao local e usam a estrutura do Centro para estudos sobre piscicultura.

PESQUISA E OUTROS AVANÇOS
Na área de produção de conhecimento, em 2012 foram publicados 25 trabalhos de pesquisa realizados no Centro – sendo 11 artigos publicados em periódicos, uma tese de doutorado, uma dissertação de mestrado e 12 resumos em congressos, encontros, conferências e fóruns. Dentre as pesquisas realizadas estão aquelas relacionadas a: “Larvicultura de Prochilodus argenteus, curimba, em diferentes densidades de estocagem, frequência alimentar e níveis de proteína”, em parceria com a Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e do Mucuri (UFVJM); diagnóstico da Ictiofauna do Projeto Jaíba (Etapa I), para subsidiar o “Programa de Monitoramento de Ictiofauna do Projeto Jaíba – Etapa I”; “Monitoramento Ictiológico e Limnológico do Reservatório de Três Marias e do Rio São Francisco a Jusante da Barragem do Reservatório de Três Marias”; “Monitoramento Ictiológico e Limnológico do Reservatório do Bico da Pedra e Estreito”; e participação na elaboração do Plano de Manejo da Estação Ecológica de Pirapitinga do Instituto Chico Mendes de Biodiversidade (ICMBio).

Para 2013, o Centro terá uma série de ações implementadas, dentre elas destacam-se: a produção de 200 mil alevinos de curimatã pacu, matrinchã e piau verdadeiro; 12 repovoamentos de reservatórios na bacia do rio São Francisco no estado de Minas Gerais; e apoio no “Monitoramento limnológico e de biologia pesqueira em áreas de influência dos Parques Aquícolas da Represa de Três Marias/MG”, desenvolvido com recursos do Ministério da Pesca e Aquicultura, dentre outras ações.

O Centro Integrado de Recursos Pesqueiros e Aquicultura de Três Marias é administrado pela Codevasf, por meio de Superintendência Regional em Montes Claros. Desde 1995, mantém parceria com a Cemig para a recomposição da ictiofauna no Alto São Francisco.

Assessoria de Comunicação e Promoção Institucional da Codevasf
COMPARTILHAR:

+1