Nomeações reforçam influência do Diretor do Hemopi no novo governo de Batalha-PI

Antônio Lages e Clayson Amaral
As nomeações de secretários municipais e cargos de direção para a Prefeitura Municipal de Batalha reforçam a influência do ex-prefeito e atual Diretor do Hemopi, Antonio Lages Alves, na gestão do prefeito provisório, Clayson Amaral (PSB), se não vejamos:

A professora aposentada Teresinha de Jesus Cardoso Alves, esposa do ex-prefeito Antonio Lages, foi nomeada secretária de Educação; o advogado Leandro Cardoso Lages, filho do ex-prefeito, foi nomeado secretário de Administração e Finanças; Larisa Maria Carvalho Alencar, filha de uma sobrinha do ex-prefeito, foi nomeada para a Secretaria Municipal do Trabalho e Assistência Social, professora Ionalda Bezerra Lustosa Fortes, concunhada de um sobrinho do ex-prefeito, foi nomeada como Controladora do Município; Tânia Maria Penafiel Diniz Moura (Secretaria Municipal de Saúde e Saneamento Básico) e Antonio Francisco da Trindade Furtado (Secretário Chefe de Gabinete).

Além deles, o Diário Oficial dos Municípios traz também a nomeação (documentos em anexo) do fisioterapeuta Ítalo de Sousa Gomes, sobrinho da enfermeira Evoneide Gomes, como diretor do Hospital Messias de Andrade Melo, e Daniel da Costa Araújo, como Assessor Jurídico da Prefeitura.

Ainda na mesma publicação, consta a nomeação da ex-vereadora Maria do Rosário de Fátima Pires Carvalho Alencar, sobrinha do ex-prefeito Antonio Lages, para exercer a função de Assistente Social.

Por fim, para a Comissão Permanente de Licitação foram nomeados os servidores, Walber Coelho de Almeida Rodrigues (presidente), Eliete de Carvalho Rodrigues, Lina Cecília de Melo Soares Lustosa e Walberina Alves de Moraes Castro. Detalhe: segundo o TCE, a ex-secretária de Saúde Eliete de Carvalho Rodrigues é "ficha suja" e não pode assumir cargo de confiança na administração pública.

Ressaltamos que cada um dos novos assessores de primeiro escalão perceberão vencimentos no valor de R$ 5.143,82 (cinco mil, cento e quarenta e três reais, oitenta e dois centavos).

Essas nomeações vêm sendo criticadas por alguns segmentos da sociedade batalhense, que apontam uma “ingerência” do ex-prefeito no governo de Clayson Amaral. Dizem que Antonio Lages não está deixando o prefeito interino fazer uma administração livre.








Folha de Batalha
COMPARTILHAR:

+1