Procedimento médico inédito no Piauí salva vida de paciente


Saudável para contar o que a curou

A americana Nora Ellen Strenger, a Irmã David, como é conhecida no Brasil, onde mora há 50 anos, foi a primeira pessoa das regiões Norte, Nordeste e Centro Oeste do país a ser submetida ao Implante Transcateter de Valva Aórtica (ITVA). O implante foi realizado no dia 25 de agosto de 2012 no Hospital São Marcos, pela equipe médica do Hospital com a presença de um médico do Hospital Albert Einstein, de São Paulo, treinado pela Edwards Life Ciences, multinacional criadora da tecnologia que permitiu a criação deste procedimento.

O ITVA é um procedimento indicado aos pacientes idosos que sofrem de uma calcificação em uma das válvulas do coração e que não resistiriam a uma cirurgia convencional, que é um procedimento muito mais invasivo. No ITVA, o cirurgião implanta uma válvula artificial no coração do paciente através de uma de suas veias mais grossas, mais comumente, a veia da perna.

“Sem esse implante os idosos só teriam um caminho: a morte. Com o implante o paciente se recupera e vive bem. Eu estou vivendo muito bem”, afirma Irmã David. Que não sente mais os efeitos da doença que a levaram afazer duas cirurgias e, em seu estado mais grave, a ficar em completo repouso. “Eu não podia mais sair da cama nem para andar dentro de casa”, conta. Atualmente, a ex-enfermeira exerce normalmente suas atividades de diretora administrativa do Hospital São Marcos e, mesmo aos 75 anos de idade, não mostra sinais de que quer parar de trabalhar.

Para apresentar a nova técnica, que chegou ao Brasil em 2008 e ainda não está difundida em todo o país, será realizado o 1º Simpósio Estenose Aórtica do Piauí, no dia 19 de janeiro, das 9h às 12h, em Teresina.

Égide Assessoria de Comunicação e Marketing
COMPARTILHAR:

+1