A Semana Santa e os excessos

Jânio Holanda
A Semana Santa do ano de 2013 passou. Mas será que a maioria dos católicos seguiu as recomendações da igreja? De acordo com o padre Paulo Ramalho, sarcedote da igreja de São Gabriel, da cidade de São Paulo, durante os dias da Semana Santa deve-se “acompanhar os passos de Cristo” e assim tirarmos muitos frutos para a nossa vida espiritual.

“A Semana Santa é a última semana que Jesus viveu sobre a terra. E a igreja procura nestes dias viver estes últimos acontecimentos através das celebrações litúrgicas”, diz o padre. No entanto, o que vimos são verdadeiras “farras” proporcionadas através de passeios turísticos regados a guloseimas e bebidas alcoólicas.

Apesar de a Semana Santa ser um feriado de cunho religioso e não ter o apelo do consumo de bebidas alcoólicas como ocorre no Carnaval e nas festas de fim de ano, a Polícia Rodoviária Federal intensifica a fiscalização de alcoolemia, que sempre ocorre nesse período em ordem crescente.

Mesmo assim com todas as medidas preventivas adotadas pelas autoridades, no sentido de evitar os excessos de bebidas alcoólicas, nem sempre a prudência é mantida. Os exageros acontecem como uma larga margem de acidentes de trânsito grave. Mas, também ocorrem casos com pessoas baleadas, esfaqueadas e enfartadas.

Nesse período a embriaguez ao volante e as ultrapassagens proibidas são as principais causas dos acidentes registrados no feriado da Páscoa. São milhares de feridos e centenas de mortos em todo o país. A maioria causada por excesso de velocidade e colisões frontais, decorrentes de ultrapassagens indevidas.

Portanto, Esperamos agora o Balanço geral feito pela Polícia Rodoviária sobre a “Nova Lei Seca”, que está com novas regras desde o final de janeiro deste ano em vigor possa te intimidado os mais audaciosos e os índices de mortalidade tenham diminuído, tanto nas estradas como nas ruas das cidades.

Jânio Holanda - Jornalista
COMPARTILHAR:

+1