Aonde a Lagoa do Bebedouro pode (ria) nos levar


A Lagoa do Bebedouro é um atrativo natural de rara beleza, no entanto não tem sido explorada racionalmente. Enquanto atrativo turístico não se encontra em roteiros de visitação promovido pelas agências locais; como área de lazer e entretenimento carece de estrutura adequada para tal; a atividade piscícola também é desprezada. Enfim, serve mesmo é como depósito de dejetos de toda a natureza.

Quem avista a Lagoa do Bebedouro de longe tem a impressão de contemplar uma maravilha. Ledo engano. Esgotos residenciais e comerciais, lixo de todo tipo, animais mortos, óleos e graxas, são lançados para o “grande esgoto” daquela área da cidade de Parnaíba.

Garças povoam a Lagoa. Dando-nos a falsa impressão de beleza plena. O que poucos sabem é que a presença destas belas aves é prenúncio de um quadro funesto: poluição em níveis intoleráveis.
O mau cheiro que já exala dali impressiona tanto quanto incomoda a quem se atreve a percorrer o seu perímetro. A poluição está tornando-se insuportável!

“Bem intencionados” cercam, plantam e cuidam de parte da sua margem. Apropriação indébita que transforma o bem comum em área privada. E ainda há quem ache a iniciativa legal...

Num passado não muito remoto o Poder Público local recebeu recursos do Orçamento da União para “despoluí-la”. Foram maquiadas vias para pedestre, recuperado meio-fios, construídos bares e restaurantes e plantadas algumas mudas de plantas às suas margens. Hoje tudo desprezado. Mas, o esgoto continua. Não se sabe o valor exato dos serviços, tampouco como prestaram contas. Papel que a sociedade gostaria de ver exercido pelos vereadores e divulgado para todos.

Outro dia, caminhando em volta dela e mergulhado em meus pensamentos quisera compreender o que leva as pessoas a se instalarem em grupos tão organizados e distintos:

(I) os que promovem a degradação;
(II) os que são completamente indiferentes ao problema;
(III) os que deveriam combatê-la e não o fazem;
(IV) e os que tiram proveito pessoal da situação caótica (piores).

Vejo crianças, jovens, adultos e idosos andando pelas margens da Lagoa do Bebedouro sem constrangimento. A impressão que me dá é de nítida falta de indignação ao problema. Parece que todos já se acostumaram com o quadro deplorável. A poluição está banalizada. Revelando o nível de compromisso que a própria sociedade tem com a causa ambiental. E o Poder Público??? Ah, este tem poder e é dado por nós... Mais nada faz!

Aonde a Lagoa do Bebedouro pode (ria) nos levar? Discutir a sua recuperação pode ser o eixo norteador de uma política de educação socioambiental para a cidade de Parnaíba. A partir deste problema poder-se-ia montar uma estratégia de gestão rumo ao desenvolvimento integrado do município, assinalando de forma clara e consensuada o compromisso constitucional que deve ser assumido pelo Poder Público e também pela sociedade, visando a melhoria da qualidade de vida local, que é o que nos falta!

Fernando Antônio Lopes Gomes – ICMBio/Sociólogo
Especialista em Manejo de Unidades de Conservação
COMPARTILHAR:

+1