Pela primeira vez em seis anos PRF/PI faz reduzir acidentes e mortos nas BRs‏


Levantamento realizado pela Polícia Rodoviária Federal demonstra ter havido redução de acidentes e mortos nas rodovias federais do Estado do Piauí. A pesquisa de dados é referente aos meses de janeiro e fevereiro de 2013, comparativo ao mesmo período do ano passado.

A série histórica dos acidentes registrados nestes dois meses assim se apresenta: 2007: 275 acidentes com 20 mortos; 2008: 341 acidentes com 28 mortos; 2009: 327 acidentes com 30 mortos; 2010: 393 acidentes com 34 mortos; 2011: 458 acidentes com 38 mortos; 2012: 464 acidentes com 37 mortos; 2013: 393 acidentes com 36 mortos.

Vale ressaltar que no bimestre janeiro/fevereiro/2013 está computado dados de 10 vítimas fatais, resultado do mesmo acidente em janeiro quando uma Van colidiu com uma carreta desgovernada no município de Monsenhor Gil, rodovia BR 316. Fato bastante incomum.

Pode-se atribuir parcela de responsabilidade por esta redução às mudanças implementadas na Chamada Lei Seca, que a tornou mais severa quanto às punições. No entanto, a principal razão para os dados alcançados está no aperto na fiscalização levada a efeito pela Polícia Rodoviária Federal.

Para ilustrar esta afirmação cite-se o aumento de 173% nos flagrantes de motoristas que dirigiam embriagados, que subiu de 83 no primeiro bimestre em 2012, para 227 em 2013. As outras modalidades de multas por infração de trânsito aumentaram de 8.951 para 12.152, calculando-se acréscimo de 35%.

As infrações com maior registro são excesso de velocidade, ocupantes de motos sem capacete, condutores sem carteira de motorista, ultrapassagem em local proibido e veículo com emplacamento em atraso.

Este dados refletem uma fiscalização mais efetiva e presença mais constatante dos agentes ao longo das rodovias federais, levando à redução dos acidentes e mortes. Os dados são considerados animadores pois quebra-se uma tendência lógica de aumento dos acidentes e mortos já esperada em razão do aumento anual na frota nacional de veículos, em torno de 8% por cálculos do Departamento Nacional de Trânsito – Denatran.

Comunicação Social PRF/PI
COMPARTILHAR:

+1