Esperantina e Batalha não entram em acordo sobre limites territoriais


Os presidentes das câmaras de vereadores de Esperantina, Raimundo Fontenele e de Batalha, Augusto Cesar não conseguiram entrar num sobre o limite entre os dois municípios.

Em audiência realizada nesta quarta-feira (24) na Comissão de Estudos Territoriais (CETE) da Assembleia Legislativa do Piauí, os vereadores discutiram a possível volta das comunidades Bela Vista, Xixá, Vivenda, Vitória de Baixo, Cacimbas II, Marajás dos Almeidas, Carnaubas e Alto Vermelho, ao território esperantinense.

Atualmente essa região, que possui cerca de 2 mil habitantes, pertence ao município de Batalha. De acordo com Raimundo Fontenele, os moradores dessas comunidades estão sendo assistidos por Esperantina. “Tudo que eles querem resolver, procuram por Esperantina porque pra ir pra Batalha o caminho é quase impossível”, destacou.

Para Augusto Cesar, não há necessidade da mudança. “Batalha está dando a atenção necessária aos munícipes que moram naquela região”, afirmou. O batalhense disse que o motivo do povo procurar por assistência em Esperantina é por que a estrada que dá acesso a Batalha não está boa, mas que isso não é o caso de fazer a alteração.

Devido a falta de entendimento, o presidente da Comissão, Deputado Estadual Antônio Félix (PSD) juntamente com os outros membros da CETE, preferiu suspender a audiência. As comunidades em questão receberão uma visita dos técnicos da comissão para analisar a situação e só depois os presidentes das câmaras e os prefeitos das duas cidades serão reconvocados para uma nova tentativa de acordo.

Da reunião participaram ainda os vereadores Regis Carvalho de Esperantina e a vereadora Samara de Batalha, além do procurador do município de Esperantina, Evandro Vieira e da Secretária de governo, Keila Mara e o deputado Marden Menezes (PSDB)

Weslley Paz

COMPARTILHAR:

+1