Audiência debate violência na zona sul de Teresina‏


A Assembleia Legislativa realiza nessa quarta-feira (08), audiência pública perante a comissão de Segurança Pública, para debater a violência instalada naquela região de Teresina. O requerimento é de autoria do deputado Cícero Magalhães (PT), que vem sendo constantemente procurado por moradores preocupados com a situação.

A zona sul de Teresina abriga cerca de 200 mil habitantes, espalhados em 21 bairros e 98 vilas. Em abril, do total de 16 homicídios registrados pelo COPOM (PM) na capital, 10 foram na zona sul. Num único um final de semana, em menos de 12 horas, 4 jovens foram executados, num raio de 1 quilômetro na região do Promorar, crimes associados ao consumo, tráfico de drogas e vingança.

“Isso gera um clima de temor entre a população. Cidadãos de bem estão com medo de sair às ruas, são assaltos a mão armada e tiros em plena luz do dia. É preciso dar um basta”, lembra Magalhães.

Na operação denominada “São Jorge”, realizada pela PM entre 22 e 28 de abril, 17 pessoas foram conduzidas à Central de Flagrantes e 2 bocas de fumo desarticuladas. A polícia apreendeu 14 armas de fogo, 110 pedras de crack, 300 gramas de cocaína, 100 gramas de maconha, 12 motos e 1 carro roubados.

“É a prova que se houver um policiamento mais intenso, é possível melhorar. É isso que queremos” destaca o deputado.

A audiência será às 16h, no ginásio poliesportivo do residencial Mário Covas. A PM já confirmou presença através do Ten. Cel. Alberto Meneses (comandante do policiamento da capital). Foram convidados ainda o Comandante da 2ª Companhia Independente da Polícia Militar do PROMORAR; Secretário de Segurança Pública; Delegacia Geral de Policia do Estado do Piaui; Delegado titular do 4º DP; Tribunal de Justiça; OAB; MP-PI, Secretário de Justiça; Câmara de Enfrentamento ao Crack e outras Drogas no Piauí; Prefeitura de Teresina; Câmara Municipal de Teresina; SASC-PI; SEMTCAS-PMT; Secretário Municipal de Desenvolvimento Urbano e Habitação da PMT; Governador do Estado do Piaui; SEMEL-PMT e FUNDESP-PI.

Ascom

COMPARTILHAR:

+1