publicidade

publicidade

Diretor de Futebol do Parnahyba pretende deixar o cargo


Batista Filho já havia ensaiado deixar o clube parnaibano após o Campeonato Piauiense, mas agora a vontade do dirigente volta à tona com mais intensidade

Há muito tempo que o Batista do Catanduvas, como é conhecido, desempenha a função de diretor de futebol no Parnahyba Sport Club. E no decorrer deste ano de 2013 o dirigente já vinha dando pistas em suas entrevistas que iria entregar o cargo para outra pessoa. Dessa vez, Batista desabafou dizendo que ficaria muito grato se a diretoria do Tubarão colocasse outra pessoa em seu lugar. O clube atravessa por uma crise financeira e acumula dívidas com os jogadores.

A paixão do Batista pelo Parnahyba é incontestável, mas de acordo com ele a situação é desconfortável, tendo em vista que o dirigente chega a tirar dinheiro do próprio bolso para sanar pequenas despesas diárias do elenco azulino, como: a compra de frutas, concerto de chuteiras, academia, medicamentos, entre outros gastos. Ainda segundo o diretor de futebol do azulino, ele já chegou a gastar R$ 2.000,00 (dois mil reais) por mês, durante a temporada passada no intervalo de tempo de junho, julho, agosto e setembro. Ou seja, em 2012 o dirigente tirou do próprio bolso em torno de R$ 8.000,00 (oito mil reais).

“Eu não tenho dinheiro para gastar desse jeito, e nesse ano, de novo no estadual, continuei gastando. Então pra mim desse jeito não dar. Tenho dinheiro ainda do ano passado para receber do Parnahyba, que não é pouco. Entretanto não tenho previsão nenhuma de receber. E eu não vou está me desgastando desse jeito, por mais que eu goste do time, eu não vou ficar me acabando pelo clube. Estou aqui para ajudar, mas a única coisa que eu não quero é ta gastando no clube, até porque não tenho condições pra isso. Dessa forma, se a diretoria tivesse outra pessoa para o meu lugar, eu ficaria grato”, desabafou o diretor de futebol do Tubarão, Batista Filho.

E as coisas no Parnahyba mais uma vez não vão bem. A diretoria do clube buscando enfatizar os treinamentos do elenco azulino nesta paralisação do Campeonato Brasileiro da série D, devido a Copa das Confederações, agendou dois jogos amistosos contra o Guarany de Sobral, vice-campeão do futebol cearense de 2013. Mas não houve uma sintonia entre diretores e jogadores. Os atletas se negaram a viajar para a cidade do Ceará. Com toda essa crise financeira, Batista explicou quais são as reais dívidas do Parnahyba para com o elenco.

“O clube só está com o mês de maio de salários atrasados. Abril só falta ser pago o volante Pio, o Rafael Machado (preparador físico), o Rosa (mordomo), o Daniel (fisioterapeuta) e uma parte do Péricles. Que dar um total de quase R$ 13.000,00 (treze mil reais). Se o dinheiro da prefeitura saísse tudo se resolveria, mas o problema é que passa um dia, uma semana, um mês, e nada se resolve. Daqui a pouco vence o mês de junho, acumulando dois meses de salários atrasados, sem contar que ainda temos débitos com o plantel do ano passado”, explicou Batista Filho em entrevista ao repórter Gláucio Resende da Rádio Top FM, de Parnaíba.

O Parnahyba ocupa a terceira posição no grupo A2 e o próximo adversário do time azulino pelo Brasileirão da quarta divisão é o Gurupi Esporte Clube de Tocantins, vice-campeão do Campeonato Tocantinense de Futebol 2013. O confronto entre o Tubarão do Litoral e o Camaleão do Sul acontece no dia 14 de julho às 16 horas no Estádio Dirceu Arcoverde (Verdinho), em Parnaíba-PI.

Por Kairo Amaral

COMPARTILHAR:

+1

Música do Dia