Protestar, sim! Mas contra quem e contra o que?


E as manifestações, quem diria, chegaram à Parnaíba.

Logo a nossa cidade que há um bom tempo tem assistido passivamente aos propagação dos nossos problemas sociais, sofrendo calada, inerte. Um protesto aqui, outro ali, nas redes sociais, nos blogs, mas daí sair nas ruas, com faixas, apitos e cartazes. Há um bom tempo não se via isso.

Mas foi o que aconteceu ontem, por volta das 18hs no cruzamento das Avenidas Pinheiro Machado e São Sebastião. Um grupo de estudantes protestavam contra tudo e contra todos. Na verdade, não dava pra se definir ao certo o teor das manifestações. Eles fechavam o trânsito, gritavam palavras de ordem e reivindicavam melhores condições de vida.

Nada mais justo. Mas não é contra os motoristas que devemos protestar, não contra a sociedade, mas sim contra nossos governantes que sentam o traseiro nas suas cadeiras frias e de lá só levantam pra dar entrevista nas emissoras de rádio, televisão e internet e ludibriar a população com falsos discursos de que vai tudo bem e que nosso país está às mil maravilhas.

Precisamos falar, mas de modo a sermos ouvidos. Não é o grito que nos fará atendidos. Devemos falar de forma clara, concisa e inteligível. Demonstrar a nossa consciência política, crítica e reflexiva. Nosso inconformismo, rebeldia, desejo de mudança. Não para barbarizar nem pra intimidar, mas para nos fazer respeitar.

PROTESTEMOS sim, contra um governo que a dez anos se mantém no poder manipulando informações, fornecendo pequenas ajudas financeiras aos menos favorecidos sob a farsa de combate à pobreza, quando na verdade não transforma a vida de ninguém, apenas os renega á condição de dependentes econômicos e os subjuga a situação de apadrinhamento político.

PROTESTEMOS, sim! contra um governo que investe 33 bilhões na realização de um evento esportivo de 30 dias e permite o sucateamento de escolas, hospitais e órgãos da segurança pública.

PROTESTEMOS, sim! contra a administração de um estado que é um dos mais belos do Brasil e farto em recursos naturais, porém não consegue desocupar os últimos lugares na fila do desenvolvimento. O estado que mais fala em política, é o que menos a utiliza em proveito dos que realmente dela necessitam.

PROTESTEMOS, sim! contra os governantes de uma cidade que possui o mais belo litoral brasileiro, solo fértil e povo inteligente, porém passa a imagem de município abandonado, com ruas esburacas energia elétrica deficitária. Segurança pública caótica, ineficiência das políticas de geração de emprego e renda. Sucateamento da saúde e escolas.

E nestes termos protestemos! Por estas causas nos unamos! Juntos somos fortes e nos faremos ouvir. Sempre com inteligência, respeito e pacificamente. Nossa voz é nossa arma. Nosso voto é nosso principal instrumento de transformação. O país que nós queremos parte do tipo de povo que somos.

Eliaquim Nunes - Acadêmico de Direito

COMPARTILHAR:

+1