publicidade

publicidade

APAL comemora aniversário com lançamento do Almanaque da Parnaíba


A Academia Parnaibana de Letras esteve em festa na última sexta-feira (26/07), quando comemorou seus 30 anos de fundação com o lançamento da edição 69 do Almanaque da Parnaíba. A APAL foi fundada em 28 de julho de 1983 por Anchieta Mendes, Fontes Ibiapina, Fonseca Mendes, Alcenor Candeira Filho, Maria da Penha Fontes e Silva e José Pinheiro de Carvalho.

O auditório “Testa Branca” da APAL na ocasião ficou lotado, com presenças de políticos, autoridades municipais e populares convidados para a festa de aniversário e principalmente para o lançamento da edição 69, daquele que é tido pelos intelectuais como a maior obra literária parnaibana, já que traz artigos dos mais variados assuntos.  


O Almanaque da Parnaíba é um periódico fundado em 20 de Agosto de 1923, em Parnaíba, pelo empreendedor gráfico Benedicto dos Santos Lima (o Bembém) que foi seu primeiro editor depois passando para Ranulpho Torres Rapouso e Manoel Domingos Neto. Foi editado anualmente até o início dos anos 1980. Com a morte do editor, a edição foi repassada para a Academia Parnaibana da Letras (APAL), que a edita como sua revista acadêmica, mas sem ser editada anualmente.

A nova edição do Almanaque da Parnaíba está sendo considerada pela APAL como a maior e melhor já publicada desde a sua fundação.  


Benedito dos Santos Lima cuidou das edições do Almanaque da Parnaíba de 1924 a 1941, já Ranulpho Torres Rapouso de 1942 a 1980. Em 1984 a família de Ranulpho Torres Rapouso passou os direitos autorais da almanaque para a APAL.  


Por Gilson Brito e Iris Maria

COMPARTILHAR:

+1

Música do Dia