publicidade

publicidade

Política com “P” grande


Politica com (P) grande, era tudo que o povo estava precisando voltar a fazer nas ruas e avenidas das grandes e pequenas cidades brasileiras.

Tudo isso para sensibilizar os poderes públicos, partidos políticos e demais instituições a respeitar e atender de fato novas e velhas reivindicações do povo, na sua grande maioria pobres.

Mas uma coisa é preciso que fique bem clara, todo esse antigo descaso com as reivindicações e direitos do povo brasileiro, vem acontecendo porque as irresponsáveis e truculentas elites deste país, sempre tiveram o controle da economia e de nossas riquezas.

Por tanto, negam e retiram direitos dos trabalhadores e das trabalhadoras a hora que bem querem, e mais só pensam mesmo é em enriquecer cada vez mais às custas da miséria e da força de trabalho mal remunerada dos trabalhadores e das trabalhadoras.

Nesse sentido não há como o povo trabalhador que produz as riquezas desta nação e pagam altos impostos ficar calado diante de tamanhas injustiças, tem mesmo é que continuar se manifestando e fazendo politica com (P) grande por todos os cantos e recantos do país para que todos os brasileiros sejam urgentemente respeitados nos seus direitos e na sua soberania.

Quem foi ás ruas de Teresina e de outras cidades brasileiras nas últimas semanas do mês de junho e acompanhou de perto as manifestações com certeza deve ter percebido o emaranhando de faixas e cartazes conduzidos pela grande multidão de manifestantes, na sua grande maioria jovens e exigiam precisamente direitos básicos.

Como por exemplo: saúde, educação, emprego, transportes públicos barato e de qualidade, passe livre, segurança e moradia, além de um forte repúdio à roubalheira do dinheiro público, gastos bilionários com a copa do mundo e as praticas constantes de corrupção que crescem a cada dia que passa e tomam conta do país.

Penso que esse momento de retomada do povo reivindicando nas ruas os seus direitos e sobre tudo a garantia de sua cidadania poderá trazer grandes melhorias sociais para todos nós se procurarmos compreender esse momento de forma lucida e paciente sem medo.

Alguém da imprensa fala que o gigante acordou, prefiro não acreditar que ele tenha acordado de vez tão facilmente, mas está apenas um pesadelo, entretanto não tenhamos dúvidas, a nossa esperança é que haja continuidade e perseverança das lutas de forma resistente e organizada para que o gigante possa realmente acordar e anunciar para todo o brasil: independência e vida nova para todos e todas.

Mas meus caríssimos leitores e leitoras, esse momento de grandes tribulações pelas ruas das cidades brasileiras, no pesem os atos de violência que em sã consciência ninguém concorda com eles, até por que não teriam sentido algum para as nossas vidas, mas nos traz algumas reflexões importantes para o nosso cotidiano.

A primeira delas é que nós, homens e mulheres, jovens e adultos, pais e mães de famílias em fim, o povo organizado é que são de fato os verdadeiros protagonistas do processo de mudanças e transformação da nossa sociedade e não apenas os partidos políticos.

Entretanto, não precisamos excluí-los das ruas e das lutas como aconteceu nas primeiras manifestações, a meu ver, essa atitude constitui um mega equivoco politico e deve ser evitado nas próximas ocasiões.

Mudança e transformação das sociedades, não é, nunca foi e nunca será privilégio de grupos isolados mas sim, de todos aqueles e aquelas que querem se organizam, lutam e sonham com dias melhores e felizes.

Uma segunda reflexão é que o estado democrático de direito com o qual convivemos ha muito tempo fica cada vez mais claro, não atende se quer as exigências básicas da população e principalmente dos mais necessitados.

Uma terceira reflexão é que o povo brasileiro em especial aqueles e aquelas que votam e elegem os seus representantes perante a lei, não suportam mais ser tapeados em cada eleição e depois ficar com as mãos na cabeça sem saber o que fazer e a quem recorrer.

Alborino Teixeira da Silva
Professor aposentado da Rede de Ensino do Piauí
   
COMPARTILHAR:

+1

Música do Dia