Quem pediu plebiscito?

Artigo de autoria de Rafael Leite – Estudante Universitário

O povo foi às ruas manifestar sua indignação contra o aumento de 0,20 centavos na passagem do transporte público em várias cidades do Brasil, isso foi apenas o que intitulamos de “a gota d’água” para que nossa sociedade antes adormecida pudesse acordar para milhares de coisas, digamos, bizarras que acontecem em nosso grande país.

Assim em pouco tempo nosso povo acordou e abriu os olhos para o que há muito era para termos vistos. Existe um turbilhão de impunidades e pessoas impunes nesse Brasil e não foi apenas por 0,20 centavos que o povo acordou, aliás, foi por isso e mais um monte de coisas entre elas a corrupção, a desigualdade social, a falta de segurança, saúde pública e tudo isso é questão de direitos humanos.

O cidadão foi às ruas pedir melhorias, pedir respeito ao futuro de nossos filhos e netos, alguém aí pediu reforma no sistema político? O que queremos é punição aos mensaleiros, o que as vozes rocas das ruas querem é transparência na hora de usarem verbas públicas, ou seja, queremos mais dignidade na forma de qualidade de vida.

O mal tem que ser cortado pela raiz e só assim começaremos a livrar nosso país desse câncer maldito que é a corrupção e onde é que a reforma política entra? Em que ponto poderemos ter a certeza que isso é um ato eficaz e de que estamos mudando “para melhor”?

Não sou a favor do impeachment da presidenta Dilma; sou a favor, sim, da cobrança rigorosa de seus subordinados, sou a favor da fiscalização pesada dos recursos da educação, saúde, transporte e até mesmo das coisas mais simples que um governo pode fazer.

O Brasil é a favor de menos impostos e mais trabalho esse é o caminho para que possamos começar a ser uma grande nação, não só em tamanho.

Confio no caráter da presidenta Dilma Rousseff e sei que após o nosso povo ter mostrado que quem manda somos nós e não os políticos e as politicagens; ela há de ser coerente em suas ações, se caso contrário, permaneça nessa conversa fiada de plebiscito e reforma política e se não houver uma melhora significativa em questões vitais que é de direito de cada cidadão que paga seus impostos - sai da frente por que vem “chumbo grosso” - Esse é o recado que nossa sociedade já mandou, vejam aí o exemplo do Egito, claro que não podemos comparar, são culturas diferentes, mas isso mostra que não se brinca com questões sociais e muito menos com um povo que acaba de acordar.

COMPARTILHAR:

+1