Novos investimentos da Codevasf irão beneficiar produtores familiares do semiárido piauiense


Cerca de 2,8 mil apicultores piauienses terão condições de incrementar a produção de mel com os kits produtivos de apicultura que receberão da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) em parceria com a Secretaria de Desenvolvimento Regional (SDR) do Ministério da Integração Nacional.

Os documentos que garantem a aquisição do material – equipamentos, indumentárias e insumos, em módulos individuais e coletivos – serão assinados nesta sexta-feira (2), às 9 h, no Instituto Centro de Tecnologia Apícola do Piauí (Centapi), em Picos (PI) – ocasião em que também será autorizada, pela Codevasf, a licitação para o início das obras do projeto Torrões, que beneficiará 26 famílias de agricultores de Picos em lotes que vão de 0,5 a 6 hectares.

A aquisição dos kits de apicultura representa um investimento de cerca de R$ 2,6 milhões no âmbito da inclusão produtiva do Plano Brasil sem Miséria. Os 2,8 mil apicultores beneficiados vivem em 82 comunidades de 37 municípios do semiárido piauiense.

“A Codevasf hoje é uma das grandes incentivadoras da apicultura no estado e, com outros parceiros, vem suprindo as necessidades dos produtores de mel no Piauí. A distribuição desses kits de apicultura facilitará o desenvolvimento das atividades por parte das famílias e ajudará na erradicação da pobreza na região, trazendo assim prosperidade para o semiárido piauiense, já que o estado é hoje o segundo maior produto de mel no Brasil, com uma produção em torno de 6 mil toneladas”, disse o presidente da Federação das Entidades Apícolas do Piauí (Casa Apis), Antônio Leopoldino Filho.

A definição do material apícola a ser adquirido resultou de diversas reuniões realizadas neste ano, nas quais foram mobilizados os parceiros que compõem a cadeia de mel no estado e, a partir daí, levantadas as principais necessidades dos municípios produtores, com suas comunidades e características.

Projeto Torrões
As obras que serão realizadas sob a responsabilidade da Codevasf no projeto Torrões visam suprir à demanda de água dos produtores do local, que possuem uma atividade agrícola voltada principalmente para o plantio de banana e goiaba e que enfrentam dificuldades em razão de a barragem de Bocaina, responsável pelo abastecimento da região, estar operando com menos de 25% de sua capacidade hídrica devido à estiagem que assola o estado do Piauí.

Segundo o gerente regional de Empreendimentos de Irrigação da Codevasf no Piauí, Maximiliamo Saraiva Arcoverde, em virtude da redução do reservatório de Bocaina o uso prioritário da água está sendo direcionado para o abastecimento humano e animal, com restrição na produção agrícola. “Por isso o projeto vai adotar uma outra fonte hídrica na região de Torrões, capaz de suplementar sempre que ocorra escassez de água. São poços que darão suporte a produtividade agrícola, de forma que as famílias tenham seu empreendimento agroindustrial viabilizado”, explicou.

A infraestrutura do projeto será composta de nove poços tubulares perfurados e equipados, com profundidade de 120 metros; implantação de 4,5 km de rede de energia com as respectivas subestações para as unidades de bombeamento; infraestrutura com armazenamento para 30m³ composta de dois reservatórios – sendo um de 20m³ e outro de 10m³, ambos com 8,0 metros de elevação; placas de obra e casa de proteção para os painéis das unidades de bombeamento.

Assessoria de Comunicação e Promoção Institucional da Codevasf

COMPARTILHAR:

+1