Daniel Solon propõe plano de obras públicas para combater o desemprego


O Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado (PSTU) defende a geração de empregos no Piauí através da execução de um programa de obras públicas para construção de conjuntos residenciais populares, em terrenos próximos aos centros urbanos, dentre outras obras como creches, escolas, hospitais e rede de saneamento básico. “Para isso defendemos a criação de uma Empresa Estadual de Obras Públicas, que resultarão em economia de recursos públicos, uma vez que não haverá superfaturamento hoje praticado pelas empreiteiras. A medida vai gerar empregos com melhores salários para os operários”, afirmou.

Hoje, no Piauí, um dos setores que mais se expandem é o da indústria da construção civil. “Mas enquanto as construtoras faturam milhões, os trabalhadores sofrem com um alto grau de exploração, recebendo um salário de fome”, afirmou Daniel Solon, que juntamente com o candidato ao Senado, Geraldo Carvalho, e candidatos a deputados pela legenda, participaram de uma panfletagem na manhã desta terça (12/08) em um canteiro de obra do bairro Cristo Rei, zona sul de Teresina.


Daniel Solon criticou projetos residenciais como o Jacinta Andrade, no extremo norte de Teresina. “Da forma como a maioria dos projetos habitacionais estão sendo implementados, o que há é um afastamento cada vez maior da população pobre para áreas isoladas, com o objetivo de aumentar a especulação imobiliária, e sem que esses novos bairros populares sejam dotados dos equipamentos urbanos necessários para uma bola qualidade de vida”, destaca Daniel.

O candidato do PSTU relata que a jornada de trabalho dos operários da construção civil chega a ser extenuante, com turnos que extrapolam a carga horária permitida, sem nenhum acréscimo na remuneração. Os trabalhadores reclamam que a sua jornada ultrapassa as 9 horas diárias, sem contar o tempo de deslocamento de casa até o trabalho, que devido a baixa remuneração e a falta de transporte público acessível, a maioria utiliza bicicletas para o deslocamento. Além disso, em muitas obras faltam os equipamentos de proteção individual, seguro contra acidentes e maior efetividade na implementação das Comissões Internas de Prevenção de Acidentes – CIPAS, por parte das empresas.


Nossa candidato a presidente da República, o operário Zé Maria (PSTU), defende a redução da jornada de trabalho, sem redução de salários, para a geração de milhões de empregos e melhoria da qualidade de vida dos trabalhadores. Hoje a jornada excessiva de trabalho mais parece escravidão, com salários baixíssimos. Esse é o sentimento dos trabalhadores da construção civil”, afirmou Daniel Solon.


Assessoria de Comunicação

COMPARTILHAR:

+1