publicidade

publicidade

Parcerias fortalecem difusão de tecnologias nas áreas de apicultura e agricultura




O Centro Tecnológico de Agricultura Familiar do Piauí (Centapi), instalado pela Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) em Picos (PI), está desenvolvendo uma série de ações nas áreas de pesquisa, capacitação e incubação/aceleração de negócios por meio de parcerias com outras instituições que irá beneficiar a região com a geração e difusão de tecnologias voltadas para a agricultura familiar, com destaque para a apicultura.

“O Centapi é fruto de uma longa discussão. Trata-se de uma demanda antiga da Federação de Apicultura do Piauí (Feapi) e de todo o setor produtivo, tendo como objetivo atuar de forma contínua e perene no atendimento das demandas dos produtores sendo, portanto, extremamente estratégico para a melhoria dos arranjos produtivos locais do estado”, explica Inaldo Guerra, superintendente regional da Codevasf no Piauí.

Atualmente, o Núcleo de Educação e Capacitação em Tecnologias de Agronegócios Regionais (Associação Nectar) – mantenedora e responsável pela execução das atividades do Centro – mantém parcerias com o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Piauí (IFPI) – Campus Picos, Universidade Federal do Piauí (UFPI) e Instituto Multicom de Tecnologia Gerencial. A proposta é que essas instituições de ensino e pesquisa desenvolvam dentro do Centapi atividades de laboratório, estágios, treinamentos e capacitações, passando em um segundo momento para a extensão desses conhecimentos ao homem do campo.

Com o IFPI - Campus Picos, está em andamento convênio para cooperação acadêmica, promoção de práticas de pesquisa e estágio nos laboratórios do Centro com os alunos dos cursos de nível superior de Química e Física e dos cursos de nível médio de Administração e Informática. Já com a UFPI, o convênio é para promoção de práticas de pesquisa, aulas teóricas, estágio e alojamento dos alunos do curso de Licenciatura em Educação no Campo – Campus Picos. Com o Instituto Multicom de Tecnologia Gerencial, a parceria é voltada para cooperação acadêmica, técnica e científica, visando a promoção e fomento de práticas de pesquisa, atividades de extensão e eventos inovadores.

PESQUISA APLICADA

Dentre as ações que estão em andamento no Centapi por meio destas parcerias, destacam-se as desenvolvidas pelo Grupo de Estudos sobre Abelhas do Semiárido Piauiense (Geaspi), formado por alunos e professores da UFPI, IFPI e da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), com o objetivo de unir a pesquisa e extensão em prol do desenvolvimento da apicultura no âmbito da região semiárida e em Picos. O grupo foi iniciado em Campo Maior (PI), em 2013, e foi retomado, em 2015, no Centapi.

“Quando iniciei as atividades no Centapi alguns alunos e seus orientadores estavam começando a desenvolver ensaios relacionados à qualidade do mel. Fiquei muito animada com as possibilidades de pesquisa”, explica a bióloga Juliana Bendini, professora da UFPI do curso de Licenciatura em Educação do Campo e uma das coordenadoras do Geaspi.

No momento, o grupo está em fase de capacitação dos alunos. Os projetos que eles irão desenvolver já foram apresentados aos integrantes do Geaspi e outros estão em fase de discussão e captação de recursos, dentre eles o de remoção de enxames de abelhas africanizadas (Apis mellifera L.) em áreas urbanas e implantação de um apiário didático-experimental do Centapi; diagnóstico tecnológico da apicultura desenvolvida na microrregião de Picos; implantação de um banco de sementes e de um viveiro de mudas de espécies apícolas do Centapi e caracterizações físico-químicas e melissopalinológicas de méis provenientes da microrregião de Picos.

“A exemplo do Geaspi de Campo Maior, iremos seguir na linha da ciência aplicada para o desenvolvimento da apicultura da região de Picos. Tenho certeza de que muitos trabalhos serão desenvolvidos e contribuirão com a apicultura do semiárido de maneira geral”, afirma Juliana Bendini. O primeiro trabalho de conclusão de curso realizado no Centapi está em fase de defesa. Trata-se da avaliação das condições higiênico-sanitária de amostras de méis de Apis mellifera L. comercializadas no município de Picos, da aluna de agronomia da UESPI, Núbia Oliveira.

Sobre a atuação da Codevasf junto ao setor apícola no Piauí, Juliana Bendini afirma que a empresa tem sido a maior parceira para o fortalecimento da apicultura no estado. “O símbolo maior desse apoio é o próprio Centapi”, finaliza.

ATUAÇÃO AMPLIADA

Inaugurado em 2009, com recursos dos Ministérios da Integração Nacional e da Ciência e Tecnologia e governo do estado do Piauí, o Centapi tem como missão institucional promover a educação tecnológica de qualidade, através do ensino, pesquisa e extensão e atender às demandas da sociedade. Inicialmente denominado de Centro Tecnológico de Apicultura, teve sua nomenclatura alterada para inclusão no seu campo de atuação dos Arranjos Produtivos de Ovinocaprinocultura, Cajucultura e Mandiocultura.

As atividades desenvolvidas no Centro incluem a promoção e realização de cursos profissionalizantes, nos níveis básico, técnico e tecnológico; assistência tecnológica à área geográfica de sua abrangência; prestação de serviços de caráter tecnológico a diferentes camadas da sociedade, ao sistema produtivo e ao governo; realização de estudos e pesquisas aplicados demandados pela sociedade, especialmente pelo governo e pelo setor produtivo; geração, adequação, transferência, aplicação e divulgação de tecnologias; e produção e/ou colaboração com produção de livros, apostilas, revistas e de publicações científicas de interesse do Centro.

Recentemente, as ações do Centro foram ampliadas. O local passou a atuar efetivamente na geração e difusão de tecnologias voltadas para a agricultura familiar, com destaque para a apicultura. Dentro da nova proposta de atuação, uma das principais metas é que o Centapi passe a trabalhar com empresas incubadoras de tecnologias, estudando e desenvolvendo principalmente mecanismos para facilitar e melhorar a vida dos agricultores. “Como por exemplo o estudo de novos materiais para indumentárias apícolas, que sejam mais confortáveis e que aqueçam menos no clima quente do Nordeste”, explica Ocelo Rocha, gerente regional de Revitalização da Codevasf no Piauí.

Ele acrescenta que desde sua criação o Centro tem funcionado como apoio técnico às ações da Casa Apis, principalmente na mobilização dos apicultores, apoio logístico nas reuniões, seminários e eventos relacionados à atividade. “No entanto, a proposta desse empreendimento é maior, ou seja, ele foi concebido para atuar na estruturação tecnológica e de capacitação da cadeia produtiva da apicultura”, afirma Rocha. Ele acrescenta que esse apoio do Centapi junto à Casa Apis garantiu a efetivação da entidade como uma das maiores cooperativas do Brasil e a primeira em trabalho de economia solidária.

Por Rafson Varela Nosfar

COMPARTILHAR:

+1

Música do Dia