Delegado que apreendeu material de repórter já se envolveu em outro episódio polêmico no Piauí


Chegou a minha vez de falar sobre o episódio ocorrido na manhã deste domingo (30), na Central de Flagrantes de Parnaíba, onde no exercício de sua função como Repórter Cinematográfico, o meu colega de trabalho Juciê Machado teve seu material de trabalho a câmera apreendida e em seguida foi conduzido ao interior da delegacia.

A ordem de apreensão partiu do famoso Delegado Eduardo Aquino de Araújo, que no exercício de sua função considerou que o cinegrafista desrespeitou sua ordem de desligar o equipamento de filmagem, no momento em que a equipe de reportagem estava gravando uma entrevista  com um suspeito de necrofilia.

Juciê disse que o delegado Eduardo Aquino ordenou que policiais civis e militares o conduzissem até o interior da delegacia, onde ele seria ouvido em TCO (Termo Circunstancial de Ocorrência) por um suposto desacato de autoridade.

O que chama a atenção para este caso, é que o local onde o delegado disse que é proibido a realização de material jornalístico, é a sala de recepção da Central de Flagrantes onde já foram realizadas várias reportagens, pelos mais diversos veículos de comunicação desta cidade e do estado e nunca uma autoridade policial advertiu que era proibido. Porque só agora, houve esse estardalhaço todo? Como se a equipe da TV estivesse cometendo algum crime.

Embora não tenha sido levado para a justiça, o mesmo delegado Eduardo Aquino ficou conhecido em Canto do Buriti no sul do estado, por um suposto comportamento de tortura contra o operário Marcos Antônio de Carvalho em 2011. De acordo com uma reportagem publicada no Portal AZ o delegado foi acusado pela vitima de torturar e o ofender, após uma briga de casal. Na ocasião Eduardo Aquino disse ao site, que era inocente e que estava sendo vitima de uma armação.

Diante de tudo isso, os profissionais que fazem a imprensa em Parnaíba cobram uma posição do Delegado Regional Rodrigo Moreira, afinal a imprensa tem sido parceira da polícia em diversas ações contra o crime, os papéis se inverteram? Não podemos aceitar de maneira passiva esse comportamento autoritário de um delegado que pelo que estamos vendo, não se envolve em polêmicas situações pela primeira vez. Ora, a ditadura já foi banida deste país há anos não podemos aceitar o seu retorno contra a liberdade de imprensa, o que posso garantir é que como está, não vai ficar.

Por Tiago Mendes
http://blogdotiagomendesds.blogspot.com.br
COMPARTILHAR:

+1