Povo não arreda o pé: Moradores da Avenida Boa Esperança protestam contra desapropriações


Domingo, 16/08, foi aniversário da cidade de Teresina. No entanto, faltaram motivos para comemorar a data. Uma das causas do descontentamento é a forma como o Projeto Lagoas do Norte (PLN) vem sendo executado. O andamento dele - que já está em sua segunda fase - ignora a população da região atingida (parte da zona norte da capital), ameaçando moradores a serem submetido (a)s a um processo de desapropriação injusto e não dialogado.

Motivados (as), então, pelo espírito de indignação e determinado (a)s a lutar para assegurar seu direito à moradia, moradores da Avenida Boa Esperança construíram um ato na tarde do domingo, no corte do bolo de aniversário da cidade com faixas e palavras de ordem pedindo não só fim da remoção, mas também um diálogo com a Prefeitura Municipal de Teresina (PMT), que não se propôs a ouvir o(a)s atingido(s) e a incluí-lo(a)s no PLN - ao contrário do que alega o prefeito Firmino Filho (PSDB). 


O protesto enfrentou resistência e desrespeito por parte daquele (a)s que organizavam o evento: em diversos momentos, a organização ligou o som em alto volume, na tentativa de silenciar os moradores, reforçando a postura da PMT em não escutar o (a)s atingido(a)s. Além disso, houve agressão a um criança, filho de uma moradora da Av. Boa Esperança que estava no protesto, demonstrando ódio e intolerância - a agressora foi autuada e conduzida a delegacia de flagrante.

Desde início do ano as famílias de uma parte da Av. Boa Esperança vêm se organizando contra a execução da segunda fase do Projeto Lagoas do Norte que prevê a desapropriação de diversas famílias que tem toda uma vida construída com muito esforço e trabalho ao longo décadas e que são muito importantes para a preservação do meio ambiente desta região e para construção da cultura e história da cidade.


Segundo próprio documento do IPHAN-PI emitido no dia 14 de Junho de 2014, a região possuía como primeiros moradores os indígenas e logo após os vaqueiros, ofício este que é reconhecido como patrimônio cultural brasileiro e que deve ser preservado para a história do município de Teresina, além da relação que a comunidade possui com o meio ambiente na sua preservação.

Em tempos de degradação do meio ambiente e do patrimônio histórico-cultural, como o que aconteceu com boa parte dos casarões do centro da cidade transformados em estacionamentos, a prefeitura de Teresina na pessoa do prefeito Firmino Filho (PSDB) reforça o planejamento de uma cidade excludente o qual coloca as famílias mais carentes para regiões mais remotas da cidade e sem os aparelhos públicos necessários, (hospitais, escola, transporte público de qualidade), e reforça uma cidade pra quem tem condições financeiras, como o próprio prefeito reafirmou na sua fala no corte do bolo que a região é área nobre. Área nobre pra quem se as famílias serão removidas

Assim, a comunidade da Boa Esperança reafirma sua luta e compromisso com sua moradia de qualidade, compreendendo a necessidade de quem precisa sair por melhores condições de vida e da essencialidade do projeto para o saneamento da capital, mas acredita na realização de um Projeto Lagoas Norte inclusivo, no qual os moradores também sejam beneficiados, podendo continuar em suas casas e reforçar seus laços com a cultural e meio ambientes locais.

Ascom
COMPARTILHAR:

+1