Empresa de cosméticos é reconhecida com principal prêmio ambiental da ONU


Maior multinacional brasileira de cosméticos e pioneira em produção sustentável, a Natura é uma das vencedoras do prêmio da Organização das Nações Unidas (ONU) Campeões da Terra 2015, na categoria Visão Empresarial.

Ao atribuir o prêmio à Natura, o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) reconheceu o compromisso da companhia em colocar a sustentabilidade no coração de sua estratégia de negócios, o que apoia a agenda para o Desenvolvimento Sustentável 2030 da ONU.

O diretor-executivo do PNUMA, Achim Steiner, diz: “O modelo de negócios da Natura é um exemplo brilhante de como a sustentabilidade e o empreendedorismo andam lado a lado. O trabalho da companhia para ter cadeias de fornecimento verdes, reduzir sua pegada de carbono e apoiar comunidades locais demonstra não só um compromisso admirável com o meio ambiente, mas também afirma o potencial de uma economia verde inclusiva”.

“O sucesso da Natura é uma inspiração e modelo para empresas de toda parte. Eles mostraram que padrões de consumo e produção sustentáveis não só são possíveis como beneficiam tanto a companhia como a comunidade”, diz Steiner.

A Natura administra uma empresa inovadora e ecológica que inclui operações em seis países da América Latina e na França, além da marca australiana Aesop, adquirida em 2013, com presença nos cinco continentes. A companhia emprega um modelo de produção sustentável baseado no fornecimento responsável de ingredientes naturais e trabalho com comunidades locais, para incentivar inovação ecológica em todo o ciclo de vida de um produto.

“Estar entre os reconhecidos como Campeões da Terra nos inspira ainda mais a ampliar o potencial de nossa empresa de gerar impacto positivo na sociedade e no meio-ambiente”, diz Roberto Lima, diretor-presidente da Natura. “Buscamos uma agenda de desenvolvimento sustentável que vá além do comportamento empresarial e que esteja inserida de fato em nosso modelo de negócios”.

A Natura é uma empresa carbono neutro desde 2007, com esforços intensos para minimizar sua pegada de carbono em todas as etapas de produção e para compensar suas emissões de CO2. Esse processo ajudou a acender a inovação ecológica, influenciando as tecnologias, o design e as fórmulas desenvolvidas pela empresa.

A fabricante prioriza materiais reciclados e recicláveis em suas embalagens, analisando o impacto ambiental do ciclo de vida do produto. Um exemplo de como a Natura transforma desafios socioambientais em novas oportunidades de negócios foi o lançamento, em 2014, dos refis das fragrâncias da linha Ekos Frescores, feitos de 100% PET reciclado pós-consumo, gerando 72% menos emissões de gases do efeito estufa. Com esse lançamento, a Natura se tornou a primeiro grande marca de cosméticos a usar esse tipo de material na perfumaria.

Com o Programa Amazônia, lançado em 2011, a Natura busca fomentar a criação de negócios sustentáveis na região amazônica, impulsionando o desenvolvimento de uma economia de floresta em pé. A companhia lançou, este ano, uma linha de produtos que usa um novo ativo amazônico, a ucuuba. Antes derrubada para exploração madeireira, a árvore em pé passou a render três vezes mais ao ano às comunidades locais com o manejo sustentável para fornecer cosméticos à Natura.

O modelo da Natura traz benefícios substanciais a ecossistemas e comunidades tradicionais, além dos acionistas da companhia. A distribuição de riquezas para as comunidades fornecedoras da Natura somou R$ 8,9 milhões em 2014.

No fim do ano passado, a Natura se tornou a primeira companhia aberta a receber a certificação Benefit Corporation (B Corp), que destacou seus altos padrões de responsabilidade ambiental e social. Em 2014 a Natura também apresentou uma série de diretrizes estratégicas para garantir que todos seus negócios criem um impacto positivo em cada dimensão de suas atividades em 2050, além de estabelecer ambições e compromissos que devem ser atingidos em 2020.

SOBRE O PRÊMIO

O Prêmio Campeões da Terra é a maior homenagem ambiental que a Organização das Nações Unidas pode conferir a indivíduos e organizações de destaque. Premiados anteriormente incluem líderes de nações a ativistas – todos visionaries cujas lideranças e ações levam o mundo ainda mais próximo a suas aspirações de sustentabilidade ambiental e uma vida digna para todos. Até agora, o Prêmio Campeões da Terra reconheceu 67 laureados em categorias de política, ciência, negócios e sociedade civil.

Em 2015, o prêmio busca apoiar o Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (Sustainable Development Goals) ao ilustrar, por meio dos exemplos dos laureados, que a transição para modelos de economia de baixo carbono, eficiência de recursos inclusivos e sustentáveis não só são possíveis, mas já estão em progresso.

Além da Natura, os outros vencedores anunciados até agora são a The National Geographic Society (Ciência e Inovação) e a South Africa’s Black Mamba Anti-Poaching Unit (Inspiração e Ação). Os outros laureados serão revelados ao longo do mês de setembro. Os prêmios serão entregues no encerramento da conferência Sustainable Development Goals, no dia 27 de setembro, em Nova York.


Por Rafaella Fontenele
COMPARTILHAR:

+1