Senador Elmano Férrer solicita estudo sobre Adutora do Sertão


Para ele, a Adutora mostra-se resolutiva ao problema de abastecimento de água na região do semiárido piauiense.

Em reunião no Serviço Geológico do Brasil (CPRM), o senador Elmano Férrer solicitou estudos sobre a possibilidade de exploração de água subterrânea para implantação da Adutora do Sertão, que irá abastecer 51 municípios do semiárido piauiense. Segundo ele, a Adutora mostra-se como uma solução viável para o abastecimento de 600 mil habitantes, com água de boa qualidade ao consumo, sem causar danos ambientais.

O senador Elmano Férrer esteve reunido como diretor-presidente da CPRM, Manoel Barreto da Rocha Neto, e o diretor Hidrologia e Gestão Territorial do Serviço, Stênio Petrovich Pereira, para solicitar o estudo técnico de forma a embasar a implantação da Adutora. Os diretores foram receptivos à ideia e afirmaram que em breve o órgão irá realizar o estudo e emitir nota técnica sobre a viabilidade de exploração do aquífero.

Segundo o parlamentar, a Adutora mostra-se resolutiva ao problema de abastecimento de milhares de pessoas que vivem na aridez do sertão piauiense. “É inadmissível continuarmos com a cultura de carros-pipa. Todos têm direito à água, esse bem tão essencial”, disse Elmano Férrer.

Elmano Férrer afirmou que levantará esta bandeira, pois além de ser uma solução para famílias que convivem com a seca, a Adutora do Sertão trará economia para os cofres públicos. “Ao longo de décadas são tomadas apenas medidas provisórias, com gastos elevados. O custo anual para o fornecimento de água por meio de carros-pipa é de quase R$ 120 milhões. Para construção da Adutora, há uma previsão de investimento do valor do R$ 950 milhões, que vai solucionar o abastecimento de água por pelo menos 300 anos. Em oito anos a adutora se paga. A matemática, na sua crueza e exatidão, expõe a irracionalidade das atuais medidas de combate à seca”, disse o senador.

A implantação da Adutora do Semiárido do Piauí é uma proposta técnico-científica que visa abastecer toda faixa sudeste do Estado, incluindo o semiárido cristalino e parte da borda sudeste da Bacia Sedimentar do Parnaíba.

Ministério Público

Ainda em 2015, o Ministério Público do Estado do Piauí e Ministério Público Federal ajuizaram ação civil pública para que seja elaborado projeto-básico da Adutora do Sertão. A ação judicial se originou de inquérito que apurou danos ambientais decorrentes do desperdício de água no município de Cristino Castro, resultante do derramamento de água de vários poços jorrantes.

Por Thaizys Val

COMPARTILHAR:

+1